Ramon conta como foi sua trajetória para ser aprovado

Início » Aprovados » Ramon conta como foi sua trajetória para ser aprovado
By | 2018-07-16T12:29:58+00:00 16 de julho de 2018|Aprovados|

Olá concurseiros de plantão. Meu nome é Ramon Costa Camurugy, sou de Salvador – Bahia, sou formado em Urbanismo pela UNEB (Universidade Estadual da Bahia) e atualmente estou no Cargo de Agente Administrativo de Polícia Federal. Vou falar um pouco como conquistei esse primeiro objetivo.

Muitos me faziam a pergunta “Será que vale a pena o esforço?” E, em alguns momentos, eu não sabia responder a essa pergunta até começar a ser aprovado.
Minha história começa em 2013 e pode ser parecida com a de muitos concurseiros pelo Brasil. Trabalhava na Prefeitura Municipal de Salvador como terceirizado e fui demitido devido a mudança de gestão daquele ano.

Eu não queria mais passar por demissões e ficar à mercê das oscilações do mercado de trabalho privado, queria uma estabilidade e , então, resolvi estudar para concursos públicos.
Como estava desempregado, aproveitei meu tempo livre para estudar.

Havia grande expectativa de no próximo ano, que seria em 2014, sair o edital da Polícia Federal para o cargo de agente administrativo e, então, resolvi focar neste no concurso.
Faltava aproximadamente cinco meses para sair o concurso e havia tempo para iniciar uma boa preparação.

Eu já havia, há alguns anos, estudado para o Tribunal Regional Federal, fui aprovado, contudo, não fui nomeado. Com isso, tive de recomeçar os estudos do zero.
Estudava duas disciplinas por dia até terminar os assuntos

No início estudei a parte teórica e letra de lei, depois comecei a pegar provas e questões de concursos anteriores mas sentia uma falta de um método mais eficiente de resolução de questões.

Foi a carência por uma ferramenta que pudesse otimizar meu conhecimento que me fez buscar na internet o que poderia ser útil para mim e me deparei com o Qconcursos, na época, Questões de Concursos.

No site era possível filtrar por assuntos específicos de matérias, além de compartilhar o conhecimento com outras pessoas sobre uma determinada resposta de uma questão.
Depois do meu aproveitamento nas questões chegar a 90% tive a certeza que o meu estudo estava sendo eficiente.

Contudo, para chegar a esse percentual tive que realizar muitas questões e chegou a um ponto que até para “chutar” uma questão eu tinha uma certa confiança, pois já sabia a linguagem da banca e tinha uma possibilidade maior de acertar a questão, pois é quase impossível acertar todas as questões de uma prova.

A aprovação e a expectativa da nomeação

Quando o resultado do concurso da PF saiu, para a minha felicidade vi que tinha ficado dentro do número total de vagas incluindo o cadastro de reserva. Eram 15 imediatas, fiquei em 30º no estado da Bahia e foram convocados no total 32.

Depois da classificação era só esperar pela nomeação. Eu estava muito consciente que iria ser nomeado. Por isso mesmo que parei de estudar. Mas, confesso que ficava ansioso.
Virei um concurseiro ligado em tudo: acompanhava as nomeações todos os dias, ficava acordava todos os dias até três da madrugada para olhar o diário oficial.

Em 21 de julho de 2017, aconteceu o que almejava nos últimos anos, a minha nomeação!

Quando vi o meu nome no Diário Oficial da União fiquei muito emocionado e logo percebi que aquela pergunta que muitos me fizeram lá atrás já tinha uma resposta: “Valeu a pena”.

Como um bom concurseiro, sabia que tinha 30 dias para tomar posse e mais 15 dias para entrar em exercício, segundo a lei 8.112/90, porém no dia seguinte já tomei posse e entrei em exercício no mesmo dia (risos). Afinal, foi muito tempo esperando!

A retomada!

Agora, em 2018, completo um ano no cargo da Polícia Federal e quero passar em um concurso com remuneração superior.

Voltei a estudar a pouco mais de um mês e tenho como meta fazer 50 questões por dia.

Se você estiver se perguntando se é pouco, eu respondo que quantidade não é qualidade. Pois eu filtro as questões e coloco uma dificuldade maior. Se errar, procuro na legislação o motivo.

Além disso, comento as questões e leio os comentários dos colegas. Comentar questões é muito produtivo, porque é necessário você ter um bom conhecimento para isso, o que ajuda na memorização.

E ler o que os colegas comentam também é essencial, pois sempre é possível encontrar comentários inteligentes.

As dificuldades

Para chegar ao serviço público federal, tive que enfrentar muitas dificuldades e questionamentos meus e dos meus amigos e familiares.

Como eu estava focado no objetivo de passar, abandonei a vida social e, claro, isso gera questionamentos.

Imagine só, você no foco e seus amigos lhe fazendo vários convites tentadores? Até para se manter nesta posição de determinação e recusar os convites tentadores era difícil. Então, tive de me manter firme no propósito.

Mas, nunca pensei em desistir, pois estava muito determinado a passar e muito motivado.

Aos que foram essenciais à minha conquista

Primeiramente, gostaria de agradecer a Deus por tudo o que ele me proporcionou até hoje.

À minha família e minha esposa que me apoiaram muito durante a trajetória.

E ao Qconcursos.com por me proporcionar aplicar o conhecimento que conquistei com os estudos e hoje me ajudar a continuar estudando para outros concursos.

Rumo a futuras aprovações!

Comentários