Eu só conseguia as aprovações se tivesse trabalhando ao longo do dia e fazendo faculdade à noite. Aí na madrugada eu estudava

13 de abril de 2017|Aprovados|

Olá, sou Felipe Loureiro e fui o primeiro colocado BNDES e vou contar parte da minha trajetória.

A história

Comecei e estudar pra concurso com 16 anos quando decidi fazer prova para Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAr). Tentei duas vezes o concurso para aluno da EPCAr, só na segunda tentativa que consegui ser aprovado dentro das vagas para ingresso na instituição.

No exame intelectual fiquei em 39º e após as demais fases do concurso (médico, psicotécnico e físico) fiquei em 19º. A preparação para esse concurso foi bem complicada, pois era muito grande a concorrência e com candidatos muito bons!

E ainda tinha a parte física que não poderia ser deixada de lado. Como já era a minha segunda tentativa eu já tinha uma noção do grau de dificuldade da prova e o quanto deveria estudar para ficar dentro das 150 vagas.

Fiquei até setembro que era o mês que as provas ocorriam, só estudando. Para esse concurso eu realmente não tive nem um final de semana livre por ser um concurso bem pesado.

Em 2004 ingressei na EPCAr, formei em 2006, em 2007 fui para a Academia da Força Aérea (AFA) como cadete aviador. No meio do ano de 2008 saí da aeronáutica.

Depois que sai tive que escolher um curso para tentar o vestibular. Acabei optando por fazer o vestibular para Administração. Então, no mesmo ano de 2008 realizei diversos vestibulares. Fiz prova pra UFRJ (passei), UFF (passei), UERJ (passei), UFRRJ (passei), Unirio (passei), PUC-RJ (passei), Ibmec (passei), todos os vestibulares que fiz passei para o curso de administração.

E como gostaria de tentar concursos escolhi pela faculdade que era ministrada no período noturno. Então optei por cursar administração na UFF.

A grande guerra começou

Entrei na faculdade no primeiro semestre de 2009 aí começou meu estudo realmente voltado para concurso público civil.

O primeiro concurso que apareceu foi do IBGE pra temporário… fiz e passei mas quando fui convocado não assumi pois achei que ia me atrapalhar muito nos estudos e como o concurso era para temporário achei melhor não tomar posse.

Em 2009, saiu o concurso da INFRAERO para profissional de serviços aeroportuários (PSA). Como a área da aviação me despertava interesse resolvi estudar e focar nesse concurso. Então, comecei minha procura por material, tanto na parte teórica quanto para exercícios e como todo concurseiro procurei na internet.

Na internet você consegue muito material bom, mas é preciso peneirar bastante, alguns materiais disponibilizados na internet ou possuem erros ou estão desatualizados. E estudei pelo que tinha disponível e consegui passar na prova. Acho que fiquei em 22º no concurso da INFRAERO.

Já estava mais tranquilo, pois tinha conseguido atingir um dos meus objetivos que era estar concursado para poder cursar a faculdade sem precisar me preocupar no término dela ter que correr atrás de emprego.

Como o concurso era para cadastro de reserva levou quase um ano para eu ser chamado.

Então, em outubro de 2010 entrei para a INFRAERO. Gostava do trabalho mas não da remuneração. Foi então que aproveitei que estava conseguindo levar a faculdade com uma relativa facilidade e decidi que iria fazer outro concurso para melhor a remuneração.

O encontro com o QC

Em 2010, saiu o concurso para Eletronuclear e prestei. Porém, o concurso era para cargo de nível médio, pois só tinha aberto para o cargo de Técnico de Arquivo e para Angra dos Reis. Mesmo assim resolvi estudar e tentar. Foi aí que conheci o Qconcursos.com!

Como resolvi fazer prova para um cargo que caia uma matéria que jamais tinha visto na vida (arquivologia) precisei de muitas questões! Antes de começar a estudar a parte teórica, sempre olho uma grande quantidade de questões para descobrir como as bancas cobram aquele assunto e focar mais neles quando for estudar a teoria.

Em 2011, comecei a usar intensamente o Qconcursos.com para ver como o assunto como era cobrado. Depois parti para teoria por meio de livro. Ao final, muitas questões!

Minha principal base de questões foi o QConcursos.com.

Depois de ter feito um número bem grande questões sobre arquivologia, (um assunto que nunca imaginei que fosse precisar estudar) fiz a prova do concurso e passei em 4º lugar. Consegui conquistar mais um degrau. Aumentei minha remuneração e continuava a faculdade e com emprego ao final dela.

A resolução de questões é o ponto mais importante da preparação, porque por meio das questões você consegue identificar o que precisa estudar da matéria. Vendo as questões é possível identificar pontos que quando estou apenas a parte teórica passaram despercebidos. E quando resolve as questões, observa-se que esses pontos são cobrados na prova. E, então, você acaba tendo que voltar para a parte teórica e revê-la toda mas ,dessa vez, dando atenção aos pontos que observou serem cobrados em prova.

O site Qconcursos.com é uma ferramenta muito útil por poupar tempo do aluno, ele apresenta um banco de questões muito bom, com questões comentadas por professores e o grande diferencial que o site disponibiliza é que você consegue não só filtrar por matéria mas dentro da matéria filtrar pela parte da matéria que te interessa.

Outro ponto positivo do QC é que ele escuta muito as demandas dos alunos, é notória a evolução do site a cada ano que passa. Antes, ele era um mero banco de questões, porém agora continua sendo um banco de questões mas com ferramentas que otimizam a recuperação da informação por parte dos alunos. Sem contar os recursos muito importantes: muitos comentários feitos por profissionais da área (que geram qualidade ao material disponibilizado) e comentários feitos pelos alunos o que facilita a compreensão de quem está estudando, pois acaba usando o mesmo tipo de linguagem.

A nova nomeação

Em janeiro de 2012 saí da INFRAERO e em março de 2012 entrei para Eletronuclear. O concurso da Eletronuclear também era para cadastro de reserva, então fui convocado quase um ano depois.

Como as vagas eram para Angra dos Reis tive que ir para lá e ficar indo e voltando todos os dias para a faculdade.

Isso mesmo: eu ia e voltava de Angra todos os dias! Os funcionários da empresa que fazem faculdade dividem o aluguel de um ônibus para trazê-los até o centro do Rio e, com isso, cada um ia pra sua faculdade e retornava às 23h para pegar o ônibus e voltar para Angra.

A retomada!

Como falei, a Eletronuclear demorou a chamar e nesse tempo saiu o concurso do BNDES 2011 para técnico de arquivo, mesmo cargo que havia feito o concurso para Eletronuclear.

Fiz a inscrição e peguei minhas fichas resumos e comecei a reler as anotações que havia feito e refazer as questões. Mas no concurso do BNDES tive que estudar outras matérias como contabilidade e estatística (que mesmo fazendo faculdade de administração eu precisava fazer questões para saber como a banca cobrava tais assunto).

E mais uma vez recorri ao Qconcursos.com para consegui um número suficiente de questões. Como já havia tido aula teórica dessas matérias na faculdade precisa mesmo era de questão e, isso, o QC tem em grande número!

Então, chegou a data da prova! Já não aguentava mais reler as fichas-resumo que tinha feito baseado nos assunto mais recorrentes que observei enquanto fazia as questões no QC.

Fiz a prova algumas semanas depois de ter recebido o telegrama de convocação da Eletronuclear. E quando saiu o resultado vi que valeu a pena todo o esforço que fiz, as fichas-resumo, a grande quantidade de questões que tinha feito. Eu realmente já estava exausto de estudar arquivologia (risos).

No concurso do BNDES fiquei em primeiro lugar na objetiva e tirei nota máxima na redação. Assim, terminei o concurso em 1º lugar.

E, após 6 meses de homologado o resultado final do concurso, eu fui convocado. Em outubro de 2012 saí da Eletronuclear e em novembro de 2012 ingressei no BNDES.

Prestei outros concursos que até fui aprovado mas não convocado. Mas todos que realmente me dediquei consegui passar e ser convocado. A maioria dos concurso que não fui convocado foram na época que estava só fazendo faculdade.

Isto acho uma grande curiosidade: a maioria das pessoas largam tudo para só ficar estudando, mas essa estratégia não deu certo comigo. Eu só conseguia as aprovações se tivesse trabalhando ao longo do dia e fazendo faculdade à noite. Aí na madrugada eu estudava. Acho que a questão de já ter um garantido e estar querendo apenas melhor ajudava a não sofrer tanta pressão.