Gisele conciliou o estudo com trabalho e maternidade

Início » Aprovados » Gisele conciliou o estudo com trabalho e maternidade
By | 2018-04-11T12:52:41+00:00 29 de março de 2018|Aprovados|

Olá, sou Gisele Coelho, nasci em Brasília, mas morei e estudei a vida toda em Ponte Alta do Tocantins, cidade do interior, com cerca de 7.950 habitantes, na região do Jalapão.

Sou graduada em Educação Física e trabalhei como professora por 11 anos, sendo 7 deles como concursada.

História que estava no sangue

Sou a mais nova de três irmãs e minha família sempre gostou de estudar. Minha mãe é um exemplo: saiu de Ponte Alta muito cedo em busca de estudo (naquela época, lá só tinha até o fundamental – primeira fase).

Depois que ela se aposentou como professora do Estado do Tocantins surgiu a oportunidade de fazer faculdade. Passou no concurso para professora do Município de Ponte Alta em primeiro lugar; continuou estudando: fez Letras e uma pós-graduação. Todos na cidade a conhecem como uma excelente e respeitada professora de português.

Minha irmã mais velha também é concursada no Estado do Tocantins e no Município de Palmas (distante 150 km de Ponte Alta). É formada em Biologia, possui duas pós-graduações e, agora está fazendo um curso de inglês.

Minha irmã do meio é concursada no Município de Ponte Alta e tem três licenciaturas (Letras, Normal Superior e Pedagogia) e uma pós-graduação. Meu pai também é concursado (aposentado) como motorista e continua trabalhando como técnico em eletrônica.

Meu esposo é concursado como Supervisor Escolar, graduado em história e está fazendo o curso de Direito. Dá para ver que estava no sangue e não tinha como fugir da minha vocação. Estudar pra concurso foi automático pra mim.

Meu primeiro concurso

O primeiro concurso que fiz foi Polícia Civil de Tocantins, em 2007, para o cargo de papiloscopista. Era apenas uma vaga e fiquei em 2º lugar. Nessa época, eu estudava fazendo resumos de apostilas. Focava nas matérias específicas porque tenho mais facilidade nas básicas, principalmente em português.

Aliás, nesse concurso da civil eu gabaritei a prova de português (risos)! Acho que isso me ajudou bastante na classificação. Com esse método eu não conseguia ver todos os tópicos do edital. Fui convocada para as provas física, psicológica e exames médicos. Passei em todas as etapas, mas só nomearam o primeiro lugar.

Eu poderia me desestimular, mas fiquei ainda mais empolgada, pois sabia que um dia eu poderia conseguir! Depois disso passei em vários concursos na minha área de formação: SECAD TO 2009 1º (Professor da Educação Básica), Prefeitura Municipal de PALMAS 2009 2º (Professora de Dança) e Prefeitura Municipal de MATEIROS 2009 1º (Educador Físico).

Como todo mundo já sabe, infelizmente o professor não é valorizado no Brasil, principalmente na questão salarial. Por isso eu buscava mais! Porém, os concursos que não eram da minha área eu conseguia apenas classificar fora do quantitativo de vagas: TRF 1 2010 (529º lugar), INSS 2011 (133º lugar) e MPE/TO 2012 (183º lugar).

Faltava a essência

Meu método de estudo levava muito tempo em pouco conteúdo, assim, eu nunca conseguia ver toda a matéria antes do edital. Eu fazia muitos resumos, mas faltava alguma coisa para levar meu caminho de estudos à aprovação.

Até que, em 2011, estudando para o INSS, ouvi falar pela primeira vez do site Qconcursos.com. Assine e comecei a resolver muitas questões.

Em 2014 saiu o concurso da PRF. Eu, minha irmã, meu esposo e um amigo estudávamos o final de semana inteiro, até não aguentarmos mais e chegar a hora de dormir.

Durante a semana cada um estudava do seu jeito, não tinha horário específico (eu ainda não tinha minha bebê, estava grávida). No grupo estudávamos por questões e pelos comentários das questões.

Depois de treinar muito com o Qconcursos.com eu consegui ser aprovada para Agente Administrativo da PRF, em 7º lugar – ainda estava nos excedentes, pois eram apenas 4 vagas.

Aprendendo com as adversidades

Nessa época nasceu minha filha e aí tudo mudou. Deixei de pensar em concursos e fiquei naquela fase de mãe babona por uns dois anos. Quando ela já estava um pouco maior recomecei meus estudos, mas quem é mãe e trabalha fora sabe bem que o tempo em que estamos em casa a atenção é toda para as crianças.

Pouco tempo depois, em 2017, saiu o edital do TRF e lá fui eu. Estudava de madrugada: comecei acordando às 5h, depois às 4h. Estudava por videoaulas, resolução de questões e foco nos comentários dos alunos “feras” aqui do Qconcursos.com (eles ajudam muito!).

Descobri que esse horário é ótimo, pois o cérebro está descansado. Além disso, não tem aquele peso na consciência em deixar de dar atenção para a criança em função dos estudos.

Já estava conseguindo a média de 100 questões por dia. Terça e quinta eu estudava das 4h até às 6h. Segunda, quarta e sexta eu estudava das 4h às 5h; depois focava na academia, porque o exercício físico é muito importante e dá disposição até para conseguir acordar cedo e realizar as tarefas do dia. Às 7h eu entrava no serviço. À noite e nos feriados, sempre que possível, eu estudava também. Final de semana aproveitava a tarde, enquanto a neném dormia.

Por causa da minha rotina de mãe eu não tinha um quantitativo de horas certas pra estudar, além desse da madrugada que falei. Se uma das avós estivesse com ela, eu corria e estudava. Se ela dormia à tarde, se ela parava um pouco para assistir TV… Era assim que eu encaixava os estudos.

Com esse método consegui mais uma classificação, desta vez no TRF1º 2017. Nesse mesmo ano saiu a tão sonhada nomeação na Polícia Rodoviária Federal. Pretendo continuar estudando para concursos, sempre resolvendo questões: é muito mais rápido e fácil de ser aprovado.

Quero continuar a estudar, seja para concurso ou para meu crescimento profissional dentro da própria Polícia, que é um ótimo órgão. Temos que manter o cérebro ativo para favorecer novas conexões nervosas e, para isso, aprender algo novo é sempre bom.

Força para seguir em frente

Deus acima de tudo! Aí vão algumas passagens nas quais me apoiava quando pensava em desistir:

Quando achar que a aprovação está demorando, lembre-se que “tudo tem o seu tempo determinado e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1). Por isso, “peça a Deus que abençoe os seus planos, e eles darão certo”. (Provérbios 16:3).

Quando achar que a concorrência é muito forte, pense que “as coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus” (Lucas 18:27). Portanto, “espera no Senhor, anima-te, e Ele fortalecerá o teu coração” (Salmos 27:14).

Recado do coração

Meu recado é para as mães concurseiras, para que não desistam: mamães, AVANTE! Somos seres iluminados e de uma força descomunal. Desejo-lhes força e que seus filhos sejam os melhores incentivos para que vocês, assim como eu, busquem uma vida mais tranquila com estabilidade.

“Sim, coisas grandiosas fez o Senhor por mim, por isso estou alegre”. (Salmos 126:3)

Você também tem uma história de aprovação com o Qconcursos.com? Inspire e motive outros estudantes! Conte pra gente clicando aqui.

Comentários